Notícia

Florestas seguras e resilientes: Comissão atua para prevenir incêndios florestais na Europa e no mundo

A Comissão Europeia publicou hoje, na sequência do Dia Internacional das Florestas, novas orientações destinadas a promover uma melhor compreensão dos métodos de prevenção dos incêndios florestais graças a uma melhor utilização dos solos e das respostas mais eficazes. As orientações apontam para medidas de prevenção que possam ser adotadas através de uma boa governação, planeamento e gestão das florestas e explicam como os Estados-Membros podem ter acesso ao financiamento da UE para promover a resiliência aos incêndios florestais e colaborar a nível da UE. Ao longo dos últimos anos, o impacto dos incêndios florestais sobre as populações e a natureza tem vindo a aumentar. As novas orientações examinam a interligação de fatores subjacentes a este fenómeno e apresentam uma panorâmica geral dos princípios hoje consagrados e da experiência obtida em matéria de gestão das paisagens, florestas e das zonas arborizadas que podem salvar vidas. O Pacto Ecológico Europeu anunciou uma nova estratégia da UE para as florestas para 2021 a fim de garantir uma florestação eficaz e a preservação e restauração das florestas na Europa, o que deverá contribuir para reduzir a incidência e a amplitude dos incêndios florestais. A Estratégia de Biodiversidade da UE 2030 procura igualmente contribuir para que a UE e os Estados-Membros disponham dos meios necessários para prevenir os grandes incêndios florestais, que afetam gravemente a biodiversidade das florestas, e fazer-lhes face. A nova estratégia da UE para a adaptação às alterações climáticas, destaca a necessidade de aumentar a resiliência das florestas e prevê diversas medidas para alcançar este objetivo. Além disso, o Centro Comum de Investigação da Comissão elaborou perfis por país no âmbito do Sistema Global de Informação sobre Incêndios, a fim de apoiar a gestão dos incêndios florestais e a redução do risco de catástrofes a nível mundial e, em especial, na América Latina e nas Caraíbas. Este trabalho integra-se na abordagem global da UE para apoiar a conservação e o desenvolvimento sustentável das florestas amazónicas. Existem atualmente mais 50 programas da UE que abordam esta prioridade regional e o novo orçamento para a Europa global incluirá igualmente uma estratégia específica para a Amazónia, que será executada em coordenação com os Estados-Membros. Mais informações no comunicado de imprensa.

Partilhar:
Voltar